Blitz: quem não deve, não teme

por admin
0 visualizações

As blitzen são um método eficaz de abordagem para prevenção de acidentes, uma vez que autua condutores que não estão em condições adequadas para dirigir. O foco é principalmente proteger transeuntes inocentes, para que não sejam vítimas de motoristas embriagados e carros que devem ser impedidos de circulação; Fiscalizar a legalidade dos documentos e tantas outras possibilidades nocivas à população.

O Acre opera uma política de governo denominada Álcool Zero, implementada em março de 2012, inspirada nos moldes nacionais da Lei Seca. Com isso, o órgão

responsável pelo trânsito no Estado, fortaleceu as ações voltadas para a educação viária, bem como, intensificou as fiscalizações voltadas para a alcoolemia ao volante e demais infrações. O resultado foi à redução no número de acidentes fatais, como ilustra o gráfico:

“Durante nossas blitzen de fiscalizações já abordamos condutores com mandato de prisão em aberto ou portando drogas. Também flagramos armas ilícitas e veículos furtados. Posteriormente encaminhamos os envolvidos para a delegacia de flagrante para que sejam tomadas as devidas providências”, esclarece a diretora-geral do Detran, Sawana Carvalho.

O grupo que realiza a blitz trabalha com a estratégia de deixar alguns policiais antes da blitz, em motocicletas. O objetivo é proporcionar segurança tanto para os agentes que estão realizando a operação, quanto para quem é abordado e ainda para alcançar eventuais fugitivos.

As penalidades

Quem fura o bloqueio de uma blitz é autuado em infração gravíssima, o condutor também pode ser preso e ter o carro detido. Caso o motorista seja alcançado seguem-se os procedimentos de rotina: verificação de documentos, veículo, bafômetro e também autuações necessárias.

“Quando se fura a blitz o condutor é autuado artigo 210 Código de Trânsito Brasileiro, é infração de natureza gravíssima – 07 pontos na carteira- a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) é recolhida e o carro removido ao pátio do Detran. O motorista é preso pelo flagrante de desobediência policial, pelo artigo 195 e podem ainda acumular outras autuações e multas, como por realizar manobras perigosas e ameaçar o trânsito”, explica o corregedor da autarquia, Fábio Ferreira.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está de acordo com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Saber mais

Ir para o conteúdo