Acidentes de trânsito e cultura de paz na Amazônia é tema de Fórum

por admin
7 visualizações

Álcool, alta velocidade, imprudência. São esses os três principais fatores que contribuem para o aumento de vítimas em acidentes de trânsito no Acre, fato que se constitui em um dos principais problemas de saúde pública. Na intenção de identificar medidas que possam reduzir os índices desse tipo de violência urbana, o 10 Fórum Internacional em Saúde aborda de hoje, 15, até a próxima sexta-feira o tema “Acidentes de trânsito e a cultura da paz na Amazônia Sul-Ocidental”. Promovido pela Ufac, o fórum conta com a parceria do Governo do Estado, prefeitura de Rio Branco, órgãos e instituições públicas e privadas.

Na abertura realizada nesta manhã, o diretor do Departamento de Análise de Situação de Saúde, do Ministério da Saúde, Otaliba Libâneo Neto, ressalta a importância da realização de eventos dessa natureza para tentar compreender o funcionamento do trânsito e a pesquisa sobre as alternativas de controle para promover a redução de índices negativos.

Em 2008, foram registrados 138 acidentes com vítimas fatais em todo o Estado. Este ano, até o mês de agosto estão contabilizadas 85 vítimas. “Essa questão não é responsabilidade só do Governo do Estado e do Detran, mas exige a participação de toda a sociedade para descobrir por que isso ocorre e o que devemos fazer para evitar”, lembra o vice-reitor da Ufac, Pascoal Torres Muniz.

O diretor do Detran/AC, Reginaldo Prates, espera que o fórum chegue, por meio de debates, a um diagnóstico que sirva como instrumento deliberativo de novas ações que surtam efeito imediato na redução de acidentes de trânsito, como a realização frequente de blitze repressivas e educativas. Álcool e imprudência, como alta velocidade, foram identificados como os grandes responsáveis pelo aumento nos índices de acidentes. As perícias realizadas nos locais dos acidentes constatam que existem sinalização adequada e boas condições das vias. “Nosso foco é a engenharia e a educação de trânsito, mas é preciso que haja mais consciência de toda a sociedade para conter a imprudência e evitar os acidentes”, diz Prates.

Todos os meses são licenciados no Acre 1,2 mil veículos, entre carros e motocicletas. A frota, que há oito anos era de 50 mil, é hoje de 128 mil veículos. Desse total, 80% está na capital Rio Branco. São 102 mil automóveis, caminhões e motocicletas dividindo espaço com pedestres e ciclistas. Mas o diretor do Detran afirma que um dado considerado positivo é que o aumento da frota não mantém proporcionalidade com o número de acidentes. “O índice é alto, mas não acompanha sistematicamente o crescimento da frota. Isso reflete o trabalho intensivo do Detran nas ações de educação e controle”, afirma.

Participam do fórum representantes das áreas de saúde, segurança e educação do Acre, Rondônia, Rio de Janeiro, São Paulo e Paraná. Está prevista a participação de convidados da Bolívia e Peru. (Agência de Notícias do Acre)

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está de acordo com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Saber mais

Ir para o conteúdo