Senado aprova maior rigidez para aplicação da Lei Seca

por admin
0 visualizações

(Por Fátima Bandeira – Foto: Igor Martins)

O plenário do Senado Federal aprovou, nesta terça-feira, 18, o projeto de lei da Câmara (PLC 27/2012) que modifica a Lei Seca, estabelecendo medidas que ampliam a possibilidade de comprovação da embriaguez. O texto segue para sanção da presidente Dilma Rousseff.

Com as alterações, não apenas o bafômetro e o exame de sangue podem servir como prova de que o condutor estava dirigindo embriagado. Agora, testemunhos de terceiros, depoimento do agente de trânsito, imagens de vídeo e exames clínicos também podem ser utilizados.

Outra medida é o aumento do valor da multa para motoristas flagrados alcoolizados. De R$ 957,70, a multa passa para R$ 1.915,40. Se houver reincidência nos últimos 12 meses, o valor pode ser dobrado.

Para a diretora-geral do Detran, Sawana Carvalho, as alterações pretendem tornar a aplicação da Lei Seca mais eficiente. “É uma forma de diminuir a alcoolemia e os acidentes nas vias públicas. No Acre, por exemplo, tivemos até outubro deste ano uma redução de 22% no número de mortes no trânsito, e isso se deve também ao trabalho realizado pela Operação Álcool Zero.”

Desde 2011, a Operação Álcool Zero tem sido desenvolvida com o intuito de combater a união de álcool e direção. Além da fiscalização, são realizadas palestras educativas. “Os acidentes diminuíram exatamente porque os condutores, cada vez mais, têm a consciência de que essa mistura é perigosa. Queremos educar os motoristas de forma preventiva e salvar vidas”, ressalta Sawana.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está de acordo com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Saber mais

Ir para o conteúdo