Presidência da República sanciona com vetos lei que altera código de trânsito

por Detran AC
3 visualizações

O presidente da República, Jair Bolsonaro, sancionou com vetos, a Lei Nº 14.071 que faz alterações no Código Brasileiro Trânsito (CTB).  O texto foi publicado no Diário Oficial da União na madrugada desta quarta-feira, 14.


O projeto foi entregue em junho do ano passado, pelo próprio presidente Jair Bolsonaro Foto:  Weslley Oliveira/Cedida

A proposta de alteração da Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997 do CTB foi uma iniciativa do presidente, que encaminhou o projeto para a Câmara dos Deputados. No dia 22 de setembro, os deputados finalizaram uma versão final da proposta e depois disso o texto seguiu para análise de Bolsonaro, que tinha até esta quarta, 14, para concluí-la.

Após avaliação, o presidente sancionou a lei, mas vetou alguns trechos. Vale lembrar que as alterações ainda serão reanalisadas pelo Congresso Nacional, que pode restaurar as medidas ou derrubá-las.  Veja detalhes das alterações:

Pontos e validade da CNH

Com as alterações, o motorista pode ter até 40 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). A lei também amplia os prazos para a renovação da CNH e dos exames de aptidão física e mental, de acordo com a idade dos condutores.

Fica estabelecido que, para motoristas com menos de 50 anos, a validade da CNH será de dez anos. Cinco anos para condutores com idade igual ou superior a 50 anos e inferior a 70 anos. Para condutores com 70 anos ou mais a CNH passa a valer três anos. A obrigatoriedade do exame toxicológico para motoristas das categorias C, D e E foi mantida.

“Em caso de indícios de deficiência física ou mental  que diminua a capacidade de condução, o examinador pode diminuir os prazos para a renovação da carteira”, explica o presidente do Detran/AC, Luiz Fernando Duarte.

Obrigatoriedade da cadeirinha

Esse foi um ponto muito polêmico do projeto, pois a proposta original do governo previa que a punição para o não uso do dispositivo de segurança fosse apenas uma advertência, sem a aplicação de multa.

Porém, o projeto aprovado determinou a obrigatoriedade do uso da cadeirinha para crianças de até dez anos que não tenham atingido 1,45m (um metro e quarenta e cinco centímetros).  É importante que os responsáveis escolham a cadeirinha de acordo com a idade, peso e altura da criança. Quem não cumprir a regra estará cometendo infração gravíssima.

Advertências

De acordo com Art. 267 da lei, para infrações leves ou médias deve ser imposta a penalidade de advertência por escrito, caso o infrator não tenha cometido nenhuma outra infração nos últimos 12 meses.

Pontos positivos

A lei define a criação do Registro Nacional Positivo de Condutores (RNPC), que será administrado pelo órgão máximo executivo de trânsito da União, com a finalidade de cadastrar os condutores que não cometeram infração de trânsito (sujeita à pontuação prevista) nos últimos 12 meses.

O RNPC deverá ser atualizado mensalmente. A abertura de cadastro requer autorização prévia e expressa do potencial cadastrado.

Escola de trânsito

Fica estabelecida no texto a criação de escolas públicas de trânsito, destinadas à educação de crianças e adolescentes, por meio de aulas teóricas e práticas sobre legislação, sinalização e comportamento no trânsito.

Vetos

O presidente vetou o trecho que previa que motociclistas apenas pudessem ultrapassar filas com carros parados em baixa velocidade.

Jair Bolsonaro também vetou a exigência de avaliação psicológica de condutores que tenham se envolvido em acidente grave, motoristas que foram condenados e por delito de trânsito.

Confira a publicação completa no Diário Oficial da União: LEI Nº 14.071, DE 13 DE OUTUBRO DE 2020.

Talvez queira ler essas notícias

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está de acordo com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Saber mais

Ir para o conteúdo