Novo sistema Renave impede fraudes por clonagem de veículos novos

359 visualizações

Por: Ministério da Infraestrutura

Uma nova funcionalidade do Registro Nacional de Veículos em Estoque (Renave) vai aumentar a segurança na venda de veículos zero-quilômetro no Brasil a partir desta segunda-feira, 24. Com o Renave Zero KM, iniciativa da Secretaria Nacional de Trânsito (Senatran) do Ministério da Infraestrutura, em parceria com o Serviço de Processamento de Dados (Serpro) do governo federal, todo carro novo sairá do estoque da loja para o comprador pelo sistema nacional de veículos.

Para as montadoras não haverá mudanças. Um veículo acabado, com faturamento para um concessionário, será identificado como um veículo Renave Zero KM. Com a implantação dele, os veículos novos vendidos vão precisar cumprir o processo de registro no novo sistema.

O sistema ampliará o escopo de transformação digital no país e será obrigatório para todos os revendedores de veículos zero-quilômetro. Para aderir ao sistema, as concessionárias devem fazer um cadastro no site www.credencia.estaleiro.serpro.gov.br. O processo é simples, rápido e a adesão é gratuita.

“A concessionária deverá informar eletronicamente, na saída de estoque, o número da nota fiscal e do documento da pessoa física ou jurídica do comprador, para evitar fraudes. Sem essas informações, o automóvel não poderá ser registrado no Detran”, explicou o secretário nacional de Trânsito, Frederico Carneiro.

Segurança

O Renave Zero KM fortalecerá a segurança e o controle de estoque de concessionárias e revendedoras de veículos zero a partir da comunicação digital com o governo federal. “O Renave proporcionará ganhos substanciais em segurança, inteligência automobilística, eficiência operacional e logística”, afirmou o presidente do Serpro, Gileno Barreto.

Quando um consumidor adquirir um veículo zero-quilômetro, ele receberá, além da nota fiscal, a Autorização para Transferência de Veículo Eletrônica (ATPV-e), emitida na saída da concessionária. Somente de posse da ATPV-e será possível o emplacamento do veículo. A única exceção é para carros com venda direta das montadoras ou com encarroçamento posterior. Para esses veículos, a implantação acontecerá ao longo do ano.

Talvez queira ler essas notícias

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está de acordo com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Saber mais

Ir para o conteúdo