Ministério Público e órgãos competentes pretendem aprimorar a segurança no trânsito de Rio Branco

por admin
0 visualizações

Representantes dos órgãos responsáveis pelo monitoramento do trânsito em Rio Branco, Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e Polícia Militar, foram recebidos na sede do Ministério Público do Acre (MP/AC), na tarde de ontem (31), pelo promotor de Justiça Glaucio Ney Shiroma Oshiro. Na ocasião, foi apresentado todo o trabalho de estatística dos acidentes de trânsito na cidade de Rio Branco no ano de 2011. O objetivo do encontro foi discutir propostas de educação e fiscalização eletrônica em determinados pontos da cidade, visando ao aprimoramento da segurança no trânsito, à diminuição da incidência de colisões, proporcionando maior fluidez no tráfego de veículos nas vias públicas.

Na reunião, o analista criminal do Comando de Policiamento Operacional (CPO1), sargento Alexon Garcia, demonstrou onde se concentram os pontos de acidentes em Rio Branco. Ele destaca que o estudo realizado pela Polícia Militar serve para auxiliar a fiscalização, educação e engenharia de trânsito. “Nós prestamos informações para direcionamentos de policiamento e também gestão de políticas públicas referentes à sinalização de fluxo e contra fluxo de veículos, melhoria de vias públicas etc.”.

Na ocasião, foram apresentados slides explicativos sobre os acidentes com vítimas fatais, lesões corporais e colisões, que ocorreram em Rio Branco no ano passado. Esse monitoramento é realizado pelo Detran, por meio do Programa de Informática com Sistema de Informação Geográfica (ArcGis). “Após o atendimento da ocorrência, o ArcGis mapeia o local, a data e a causa do acidente”, explica a Diretora-Geral do Detran, Sawana Carvalho.

Em Rio Branco, cerca de 1800 a 2000 veículos entram no estado todo mês. “Rio Branco tem visto crescer sua frota assustadoramente nos últimos anos, o que ocasiona todo esse congestionamento e esse caos no trânsito”, assegura o promotor Glaucio Ney Shiroma. Segundo ele, o mapeamento dos acidentes e dos locais onde eles mais ocorrem traz novas informações para subsidiar os procedimentos administrativos do Ministério Público.

O Detran efetivará o retorno da fiscalização eletrônica em pontos estratégicos onde ocorrem mais colisões: faixa de pedestres, avanço de semáforo/ travamento nos cruzamentos e o monitoramento do excesso de velocidade. Segundo Sawana Carvalho, essas ações de segurança e educação pretendem impor conscientização e respeito às normas de trânsito para que haja diminuição na quantidade de acidentes. “Queremos um trânsito mais seguro e, para isso, temos o amparo legal do Ministério Público. Ele fortalece muito a ação de fiscalização”. A Diretora-Geral do Detran ainda afirma que os órgãos fiscalizadores de trânsito não têm o desígnio de arrecadar valores por multas, mas busca principalmente impor respeito às normas e à cidadania no trânsito.

Nas propostas de educação e fiscalização eletrônica, o Ministério Público atua no auxílio na construção de uma política pública. O procedimento envolve três promotorias: Promotoria de Habitação e Urbanismo, Promotoria de Direitos Humanos e Promotoria de Saúde Pública. “Segundo os dados do Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb), mais de 90% dos casos de internação no setor de ortopedia é decorrência de acidentes de transito. Daí a importância da Saúde Pública também estar dentro desse procedimento”, esclarece o promotor de Defesa da Saúde, Glaucio Ney Shiroma Oshiro.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está de acordo com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Saber mais

Ir para o conteúdo