Dia Mundial em Memória às Vítimas de Trânsito é lembrado neste domingo

por admin
4 visualizações

“Ele ficou com um percentual muito pequeno de chances de viver”, afirma Regiane Oliveira, esposa do agente de trânsito Jones Costa, sobre o estado de saúde do marido logo após ter sofrido um acidente de trânsito.

Jones é Coordenador de Fiscalização de Trânsito do Departamento Estadual de Trânsito do Acre (Detran/AC)  e foi atropelado quando saía de uma reunião de trabalho, no dia do seu aniversário, 14 de setembro deste ano.

Depois de ter ficado em estado gravíssimo, passado por cirurgias, pela Unidade Tratamento Intensivo (UTI) e vários dias internado, hoje o agente de trânsito comemora sua recuperação em casa. “Logo eu voltarei às ruas novamente”, ressalta Jones.

“Jones estar vivo hoje é um milagre”, afirma a esposa Regiane Soares (Foto: Ana Flávia Soares/Ascom)

“Jones teve sorte de ter sobrevivido a um acidente de trânsito tão grave! Quantos outros não puderam comemorar? Quantas famílias foram subtraídas e filhos órfãos o trânsito tem feito? Queremos alertar a população pela prudência no trânsito, uma vida tem muito valor”, afirma o diretor-geral do Detran/AC, Pedro Longo.

Fazendo referência ao Dia Mundial em Memória às Vítimas de Trânsito, terceiro domingo do mês de novembro, 19, a história de Jones Costa é lembrada no intuito de conscientizar a sociedade pela paz no trânsito.

De acordo com a ONU, todo ano morrem cerca de 1,25 milhão de pessoas em acidentes de trânsito no mundo. O número de feridos varia entre 30 e 50 milhões de pessoas. Brasil, China e Índia respondem por 40% das mortes globais de acidentes devido ao tamanho da população e à taxa de motorização.

O Acre como referência em redução de mortes no trânsito

Segundo o Retrato da Segurança Viária 2017, feito pela Companhia de Bebidas das Américas (Ambev) e parceiros, o Acre é o segundo estado brasileiro com menor número de mortes no trânsito, ficando atrás apenas do Amapá.

Em maio deste ano o estado ultrapassou a meta de redução de mortes no trânsito apontada pela ONU, que era de 50% em um período de dez anos.

“Ficamos felizes com os números de redução do Acre, este é fruto de um trabalho integrado da engenharia, educação e fiscalização de trânsito, porém , o Detran/AC e a sociedade não deve se acomodar enquanto tiver uma só vítima de trânsito para ser lembrada nesse dia”, afirma Longo.
Autor:Andréia Nobre 

Talvez queira ler essas notícias

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está de acordo com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Saber mais

Ir para o conteúdo