Detran se une a instituição de ensino superior por respeito às vagas reservadas

por admin
0 visualizações


A previsão é de que até o fim da atividade pelo menos 8 mil pessoas sejam alcançadas (Foto: Renato Beiruth)

Não parar em vagas reservadas nos estacionamentos é uma atitude cidadã que exige ética e respeito. E foi para incentivar esse respeito às vagas reservadas no estacionamento da Uninorte que professores e alunos se uniram ao Departamento Estadual de Trânsito do Acre (Detran/AC) em uma atividade de orientação.

A atividade foi organizada pela própria instituição de ensino que além de formar os alunos profissionalmente almeja transferir cidadania e ética, para que os profissionais saiam completos.

“Aproveitamos as disciplinas que envolvem ética, cidadania e sociedade e convidamos os alunos a se unirem a essa causa, chamando a atenção dos demais colegas de forma lúdica e com engajamento”, destaca a diretora acadêmica da Uninorte, Vanessa Vogliotti Igami.

A ação teve início na última quarta-feira, 18, e segue até o dia 25, nos três turnos. A previsão é de que mais de 8 mil pessoas sejam abordadas e sensibilizadas sobre a necessidade de respeito às vagas para idosos e deficientes.

“Acreditamos que quando a sociedade se une ao poder público os resultados são ainda melhores, por isso ficamos muito felizes em participar dessa ação que sensibiliza o corpo acadêmico sobre valorizar a necessidade dos idosos e deficientes para que eles tenham maior facilidade no ir e vir”, explica a educadora de trânsito do Detran Rebeca de Paula.


Afonso Dias é deficiente físico e sofre com o desrespeito de muitos condutores (Foto: Renato Beiruth)

Para o aluno Afonso Dias, estudante do curso de Educação Física na Uninorte, que é deficiente físico, esse tipo de atividade é importante para que cada vez mais pessoas entendam que idosos e deficientes não querem privilégios, mas respeito a seus direitos e necessidades.

“No meu primeiro período aqui foi um pouco difícil, mas depois os alunos começaram a perceber que preciso da vaga mais próximas da entrada e começaram a respeitar”, conta o estudante.

A lei é clara
A vaga especial é um direito assegurado por lei federal, com uso regulamentado por resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que determina que 5% do total de vagas do estacionamento regulamentado sejam destinadas a idosos e 2% a portadores de deficiência.

Segundo o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), o uso de vaga especial sem credencial é infração de natureza gravíssima, sendo punida com sete pontos na carteira de habilitação e multa de R$ 293,47.

Permissão para estacionar
Mesmo que um idoso, acima de 60 anos, ou deficiente esteja no veículo, o motorista só pode estacionar nas vagas especiais se tiver credencial.

Para obter as credenciais para estacionamento do idoso ou deficiente, é necessário realizar a solicitação junto à Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (RBTrans), caso seja morador de Rio Branco, ou Circunscrições Regionais de Trânsito (Ciretrans), nos demais municípios.

O cartão tem validade em todo o território nacional e pode ser utilizado em qualquer veículo em que o portador de necessidades especiais esteja, seja ele condutor ou conduzido.

“Ao estacionar na vaga especial, o motorista deve deixar o cartão sobre o painel de forma visível e com a frente voltada para cima”, explica Rebeca de Paula.

Vale lembrar que a credencial só é válida para o tipo de estacionamento para o qual está relacionada, não podendo a vaga de idoso ser utilizada por cidadão que possui permissão para vaga de deficiente e vice-versa.

A previsão é de que até o fim da atividade pelo menos 8 mil pessoas sejam alcançadas (Foto: Renato Beiruth)

Não parar em vagas reservadas nos estacionamentos é uma atitude cidadã que exige ética e respeito. E foi para incentivar esse respeito às vagas reservadas no estacionamento da Uninorte que professores e alunos se uniram ao Departamento Estadual de Trânsito do Acre (Detran/AC) em uma atividade de orientação.

A atividade foi organizada pela própria instituição de ensino que além de formar os alunos profissionalmente almeja transferir cidadania e ética, para que os profissionais saiam completos.

“Aproveitamos as disciplinas que envolvem ética, cidadania e sociedade e convidamos os alunos a se unirem a essa causa, chamando a atenção dos demais colegas de forma lúdica e com engajamento”, destaca a diretora acadêmica da Uninorte, Vanessa Vogliotti Igami.

A ação teve início na última quarta-feira, 18, e segue até o dia 25, nos três turnos. A previsão é de que mais de 8 mil pessoas sejam abordadas e sensibilizadas sobre a necessidade de respeito às vagas para idosos e deficientes.

“Acreditamos que quando a sociedade se une ao poder público os resultados são ainda melhores, por isso ficamos muito felizes em participar dessa ação que sensibiliza o corpo acadêmico sobre valorizar a necessidade dos idosos e deficientes para que eles tenham maior facilidade no ir e vir”, explica a educadora de trânsito do Detran Rebeca de Paula.

Afonso Dias é deficiente físico e sofre com o desrespeito de muitos condutores (Foto: Renato Beiruth)

Para o aluno Afonso Dias, estudante do curso de Educação Física na Uninorte, que é deficiente físico, esse tipo de atividade é importante para que cada vez mais pessoas entendam que idosos e deficientes não querem privilégios, mas respeito a seus direitos e necessidades.

“No meu primeiro período aqui foi um pouco difícil, mas depois os alunos começaram a perceber que preciso da vaga mais próximas da entrada e começaram a respeitar”, conta o estudante.

A lei é clara

A vaga especial é um direito assegurado por lei federal, com uso regulamentado por resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que determina que 5% do total de vagas do estacionamento regulamentado sejam destinadas a idosos e 2% a portadores de deficiência.

Segundo o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), o uso de vaga especial sem credencial é infração de natureza gravíssima, sendo punida com sete pontos na carteira de habilitação e multa de R$ 293,47.

Permissão para estacionar

Mesmo que um idoso, acima de 60 anos, ou deficiente esteja no veículo, o motorista só pode estacionar nas vagas especiais se tiver credencial.

Para obter as credenciais para estacionamento do idoso ou deficiente, é necessário realizar a solicitação junto à Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (RBTrans), caso seja morador de Rio Branco, ou Circunscrições Regionais de Trânsito (Ciretrans), nos demais municípios.

O cartão tem validade em todo o território nacional e pode ser utilizado em qualquer veículo em que o portador de necessidades especiais esteja, seja ele condutor ou conduzido.

“Ao estacionar na vaga especial, o motorista deve deixar o cartão sobre o painel de forma visível e com a frente voltada para cima”, explica Rebeca de Paula.

Vale lembrar que a credencial só é válida para o tipo de estacionamento para o qual está relacionada, não podendo a vaga de idoso ser utilizada por cidadão que possui permissão para vaga de deficiente e vice-versa.









Autor: Daígleine Cavalcante

Talvez queira ler essas notícias

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está de acordo com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Saber mais

Ir para o conteúdo