Após se recuperar de acidente grave, agente do Detran pede mais cuidado no trânsito

por admin
0 visualizações

Sete meses após ser atropelado, o coordenador da equipe de fiscalização do Departamento Estadual de Trânsito do Acre (Detran/AC), Jones Costa, volta ao trabalho e pede mais consciência no trânsito.

Em setembro do ano passado, dia de seu aniversário, Costa saía de uma reunião de trabalho na sede do Detran e foi atropelado por um motociclista quando realizava a travessia da Avenida Ceará.

O acidente foi grave, e tanto o agente de trânsito como o motociclista, que dirigia em alta velocidade e estava com a habilitação suspensa, ficaram gravemente feridos.

Depois de ter ficado em estado gravíssimo e passado por diversas cirurgias, internação na Unidade Tratamento Intensivo (UTI) e por um longo período de fisioterapias, ele enfim voltou à rotina de trabalho.

“Não me lembro de nada. Quando acordei em casa, estava com o braço e a perna quebrados. Minha esposa me contou e eu só pensei em quantas vezes trabalhei para impedir os crimes de trânsito e como buscava promover a segurança nas vias”, recorda Costa.

Animado com a volta ao trabalho, o sevidor conta que ainda está em processo de recuperação e comemora o fato de ter sobrevivido e poder chamar a atenção das pessoas com sua história.

Educar para prevenir

O Detran realiza constantemente ações educativas para prevenir a violência nas vias, orientando crianças, jovens e adultos sobre a responsabilidade de cada pessoa para que o trânsito seja cada vez mais seguro e sem mortes. Só em 2017, as equipes de educação do departamento levaram atividades como peças teatrais, palestras e distribuição de material informativo a mais de 280 mil pessoas em todo o estado.

Ações como essas, somadas às atividades de engenharia e fiscalização desenvolvidas pelo órgão de trânsito, têm rendido bons frutos. Desde 2011 o estado conquista redução no número de mortes nas vias, ano após ano, alcançando em 2017 a maior redução de mortes nas vias da história do Acre, quando foram contabilizadas 76 mortes – no ano anterior o registro foi de 103 vítimas fatais de acidentes de trânsito.

Pensando na valorização à vida, o Detran segue com atividades de educação, engenharia e fiscalização na capital e interior, na busca de promover a cultura de paz nas vias e conscientizando o cidadão sobre sua responsabilidade no trânsito, valorizando a participação de todos para o alcance da plena segurança viária.

Para Costa, que está recomeçando a vida, todos devem cuidar para que valores sociais e atitudes que garantam o direito de ir e vir com segurança sejam desenvolvidos na sociedade, de forma que pessoas não vivam mais mutiladas por consequência da imprudência e vidas não sejam perdidas no trânsito.

“Estar vivo é maravilhoso, mas eu e minha família sofremos muito. Ninguém deveria passar o que passei, ninguém deveria perder pessoas queridas no trânsito. Todas as pessoas já deveriam ter compreendido que as leis de trânsito não existem para punir, mas para organizar as vias e proteger vidas. Obedecer é dever de todos”, enfatiza Costa.

Autor:Daigleíne Cavalcante 

Talvez queira ler essas notícias

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está de acordo com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Saber mais

Ir para o conteúdo