Acidentes com motos foram os principais responsáveis por mortes em 2013

por admin
0 visualizações

Por Jannice Dantas

O Departamento Estadual de Trânsito (Detran) apresentou recente levantamento que aponta o perfil dos acidentes de trânsito com mortes no ano de 2013. Os dados excluem as rodovias federais, uma vez que elas estão sob a jurisdição federal.

No Acre, condutores ou passageiros de motocicletas são responsáveis por 60% das mortes nas vias públicas do estado. Pedestres ficam em segundo lugar – ao todo, foram 19 mortes, o que equivalem a 22% dos casos. Acidentes de bicicletas, com 11 vítimas, somam 13%. Caminhão e carros pequenos contabilizam 5%, e chega a cinco o número de pessoas que estavam dentro dos automóveis no momento do acidente. No total, 87 mortes, ocasionadas pelo trânsito em todo o estado, ocorreram no ano passado.

Na capital – Os dados listados também apontam as motos como principais responsáveis pelas mortes nas ruas. O número de pessoas que perderam a vida em cima de duas rodas é de 25, ou seja, 60%. Pedestres são 21%, com nove mortes, e ocupam a segunda colocação. As bicicletas tiveram seis vítimas e ficam no terceiro lugar, com 14%. Por último, na quarta posição, com 5%, estão as mortes ocorridas em veículos, que foram duas. No total, o número de mortes chega a 42.

Cruzeiro do Sul – na segunda maior cidade do estado, não é diferente. Também aponta as motocicletas com o número maior de vítimas, são 11 mortes que equivalem a 79%. Pedestres chega a 14%, com duas mortes e, por fim, a bicicleta foi responsável por uma morte. Ao todo foram 14 pessoas que perderam suas vidas em acidentes de trânsito na principal cidade do Vale do Juruá.

Para a diretora-geral do Detran, Sawana Carvalho, as motos ocupam o primeiro lugar no ranking de acidentes fatais pelo fato de serem um dos veículos mais frágeis nas vias. “Somam-se a isso o excesso de velocidade, a autoconfiança e, em alguns casos, podemos acrescentar o álcool”, destaca. “Infelizmente esses números equivalem a pessoas que perderam suas vidas. Desempenhamos campanhas educativas em 2013, e este ano queremos intensificar ainda mais, pois trabalhamos em prol da vida.”

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está de acordo com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Saber mais

Ir para o conteúdo